Chamado à mobilização

Chamado internacional à mobilização contra o G20 e o FMI

Pela soberania política, ambiental, cultural e econômica de nossos povos e de nossos corpos

Como organizações e movimentos internacionais, nacionais e locais de pessoas trabalhadoras da cidade e do campo, originárias, afrodescendentes, feministas, aposentadas, migrantes, estudantes, defensoras dos direitos dos indivíduos e dos povos, do meio ambiente, dos bens públicos, da justiça climática, dos direitos das crianças, de gênero, entre outros; lutamos desde diversas formas de organização e luta contra o avanço do Capital sobre nossas vidas, corpos e territórios. Chamamos a população e os movimentos ao redor do mundo para mobilizar-se na Argentina, e em todos os países, no dia 30 de novembro e também fazer parte da Semana de Ação, de 25 de novembro a 1º de dezembro, contra o G20, o FMI e sua agenda de dominação.

Nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro, a cúpula do G20 se reunirá na America do Sul, onde os Chefes de Estado dos países e organizações discutirão questões de enorme importância, incluindo a situação da economia mundial, o futuro das relações trabalhistas, da alimentação e infra-estrutura.

Já conhecemos suas medidas para determinar novas formas de exploração sobre nossos povos, por isto, manifestamos repudio à realização da reunião do G20, que vem para reafirmar o brutal retrocesso levado a cabo pelo governo de Maurício Macri na Argentina e que pretende se estender a toda a região e ao mundo. A Argentina é hoje um laboratório das políticas de liberalização, dívida e privatizações que estão sendo conduzidas pelo G20, Fundo Monetário Internacional, Banco Mundial, Banco Interamericano de Desenvolvimento e outros, e que estão hipotecando o futuro do país e condenando milhões trabalhadoras/es e suas famílias a uma situação de exclusão e miséria.

Consideramos esta reunião do G20, que reúne os países mais poderosos do mundo e outros chamados de “emergentes” (sem grande legitimidade pelo seu tamanho e poder), servirá como uma nova plataforma de políticas públicas que vão na contramão do progresso, violando os direitos humanos, a paz, a soberania dos povos, os direitos ambientais e trabalhistas, entre outros. O ataque que o capitalismo neoliberal está realizando com o aumento da fome, empobrecimento, exclusão e repressão aos movimentos populares, prejudica a possibilidade de construção de mecanismos democráticos e perpetua a arquitetura da impunidade ao serviço do corporativismo transnacional; tudo isso se consolida através deste fórum. Por isso, é nosso dever expressar de maneira contundente nossa absoluta rejeição, fazer visível a urgência de resposta e propor alternativas reais.

Não podemos permitir que o futuro de nossos direitos trabalhistas e previdenciários, que a educação e saúde públicas e gratuitas, que a soberania alimentar, que nossos territórios e integridade, permaneçam nas mãos das elites que desprezam nosso povo e lucram com a precariedade a qual nos submetem através de suas decisões. É o nosso futuro, o das novas gerações de todos os povos e a vida neste planeta que está em xeque.

Por estas razões, fazemos um chamado à mobilização. Convocamos todos os povos e suas organizações, unidos na diversidade, para mostrar que não aceitamos as políticas promovidas e implementadas pelo G20 e que trabalharemos em conjunto desde diferentes países e suas diversas realidades para a auto-determinação do nosso futuro e enfrentamento frente as imposições das poderosas elites econômicas e militares. Dado o avanço feroz que visa ter total controle de nossas vidas, a nossa resposta global será forte e amparada pelo direito de protestar, e sabemos; será reprimida para negar a expressão legítima da nossa resistência.

Por um mundo sem o domínio do corporativismo transnacional e seu modelo de liberalização do comércio e da dívida. Pelo respeito aos direitos dos povos e da natureza e a possibilidade de construir alternativas democráticas com base na nossa soberania e integração como povos, fazemos um chamado a fazer parte da grande Semana de Ação de 25/nov a 1/dez e a mobilizar na Argentina, e em todo o mundo, no dia 30 de novembro contra o G20 e o FMI.

Confluência Fora do G20-FMI

Jornada Continental pela Democracia e contra o Neoliberalismo

Primeiras adesões

Internacionales

ALBA Movimientos

Amigos de la Tierra América Latina y el Caribe

Anticapitalistas en Red

Confederación Latinoamericana y del Caribe de Trabajadores Estatales (CLATE)

CSP-Conlutas – Central Sindical y Popular de Brasil

Colectivo Voces Ecológicas COVEC (Panama)

Encuentro Sindical Nuestra América (ESNA)

Grupo de Estudio Economía Digna – GEED (Colombia)

Jubileo Sur Américas

Nacionales

Amigos de la Tierra Argentina

Asamblea No al G20

Asamblea Argentina Mejor sin TLC

Asociación ddhh Cañada de Gomez

ATTAC Argentina

Barrios de Pie

Central de Trabajadores de la Argentina Autónoma

Confederación de los Trabajadores de la Economía Popular (CTEP)

Colectivo Subversiones-Bachillerato Popular de Parque Patricios

Corriente Política de Izquierda (CPI)

Democracia Socialista

Diálogo 2000

Fundación de Investigaciones Sociales y Políticas (FISYP)

La Emergente

Movimiento de los Pueblos – por un socialismo feminista desde abajo (Corriente Popular Juana Azurduy // Frente Popular Darío Santillán // Frente Popular Darío Santillán-Corriente Nacional // Movimiento por la Unidad Latinoamericana y el Cambio Social)

Movimiento Evita

Movimiento Popular Patria Grande

Movimiento Socialista de los Trabajadores (MST)

O.P. Cienfuegos

Anuncios
A %d blogueros les gusta esto: